terça-feira, 18 de outubro de 2016

Nada Faz Sentido Nesta POrra....

Tão atual 

Notícias De Uma Guerra Particular - Helio Luz




"O que se faz no Rio é o controle social da favela, repressão. Eu não acredito nisso. Os assaltos e os arrastões continuam. O pó continua sendo vendido na Zona Sul. As facções continuam existindo." 
Helio Luz 
"No Estado da Guanabara, até a década de 70, quem pagava o salário do policial era o jogo do bicho, que pagava quatro vezes mais do que ele ganhava. O Estado pagava um bico para o policial."
Helio Luz
citações retiradas de uma entrevista para Zero Hora

Não faz sentido uma polícia militar que nem recebeu o décimo terceiro ainda esculachar morador por causa de uma guerra sem mais sentido ainda.A PM é doente, feita de gente doente.Não tem o menor sentido eles ficarem com aqueles uniformes no calor segurando uma arma ultrapassada pra cacete diante do aparato do poder paralelo... no sábado eu vindo da feira cheia de ervas e frutas eu vi um PM suando e tremendo com os olhos arregalados eu olhei pra ele e disse "tá tudo errado!Nossa Sociedade está doente!Não faz sentido você estar aí.A gente tem que voltar a plantar no campo!" Ele até se assustou e me olhou meio que afirmando realmente que tá tudo errado.O fato é que se um policial militar fizer greve ele vai preso... é o juramento.#DesmilitarizaçãoJá!

Vivo em um Estado de Exceção em um pré Estado de Choque numa comunidade em Estado de Sítio

Na madrugada aqui quando os cães ladram a gente sabe que é melhor ficar quietinha porque a caravana tá passando mesmo e eles vem de peça...


O lance é que aqui todos falam com todo mundo, se cumprimentam, perguntam,ajudam,dão dicas.Eu fui ao sacolão (horti fruti daqui) comprar bananas e tomar uma água de coco e colocaram uma menina com reais problemas cognitivos mas capaz.Perguntei a ela tomando coco se ela era parente das donas e ela disse que era amiga.Ela continuou e eu perguntei "você gosta de trabalhar aqui perto de sua casa?" Ela disse que gostava muito porque trabalhava num mercado e era maltrata por clientes na pista e sofria com bullying de colegas pela forma que falava e talvez por ser meio lenta em pensamentos mas absolutamente capaz.Eu respondi pra ela que as pessoas lá embaixo são assim mesmo e que ali ela não tinha que usar uniformes ou pagar passagem para ir ao trabalho e que ela não tinha que ligar pros outros e sim para a felicidade dela.Daí meus olhos encheram de lágrimas e sabe-se lá por quê eu me comovi com uma jovenzinha que num mundo selvagem deve ter sido muito maltratada e não teve a oportunidade de frequentar um fonoaudiólogo e que ainda por cima era fanha mas extremamente simpática e sorridente te atendendo da melhor forma possível e sempre escolhendo a melhor couve, a melhor opção de dentro da geladeira pra gente.Aqui a simplicidade cativa e este lado feio do poder paralelo se apaga diante de tanta lindeza...



Não entendo como mulheres podem dançar músicas que as chamam de piranha e têm apenas motes misóginos.Elas rebolam até o chão na cadência degradante de algo que não consigo entender.Ser submissa é uma coisa mas ser imbecil é outra coisa.O lance piora quando você ver criancinhas rebolando até o chão com 1 ou 2 anos de idade e os avós, tios, mães e etcs acham bonitinho e batem palma como se eles fossem um mini gênio. Sexualizam os seus filhos desde o útero.Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh.



O verão e a crise hídrica nas comunidades já é algo real.
Bem, aqui são 3 caixas d'água.Uma minha e já roubaram a água da minha caixa d'água no verão passado.Para mim o verão já começou de alguma forma.Sábado passado eu vi os vizinhos do lado ali do Ninho das Cobras numa lavação de laje e que coincidência a água da segunda caixa d'água ter desaparecido, evaporado não é não?Aqui o povo rouba a água da caixa dos outros e eu nada posso falar ou fazer.O máximo que posso fazer se acontecer com minha caixa d'água novamente é descer e tomar banho num posto, na casa de alguém ou algo assim...



Como não rir das situações dantescas da vida?Desci para ir na loja conversar com o cara que tem uma pet aqui e ele me recomendou um remédio pra diarréia do Sascha e disse pra eu só dar ração seca.
Número 1: instalaram um chuveiro ali na escada kkkk os caras vão tomar uns banhos ali mesmo né?Pra não arredar.É uma verdadeira aula de ocupação de espaço.
Número 2: Ao subir quase esbarrei em um dos meninos que tava de fuzil e com uma granada na cintura.Simples assim.Granada.Eu esquivei com sacolas,bananas e o resto e subi a escada como se nem fosse comigo né?
O Haiti é aqui.Agora imagina no Alemão,CDD, Maré,Vila do João e etcs adentro da ZN ?



RJ é aquela cidade louca que ali no boteco da esquina tu vê os PMs tomando breja com os caras donos do pedaço.Sinto-me às vezes num pedaço do Projac...


Percebo aqui que como falar sobre isto?O poder paralelo aqui é extremamente presente e participativo.Teve uma big festa no dia das crianças, os próprios meninos do tal poder paralelo distribuíam tickets para os brinquedos, pulas-pulas.O chefe aqui é extremamente participativo em vários sentidos.Eles suprem a comunidade pela ausência e carência do Estado.O mandante aqui ( reparo) e nem poderia estar falando disto, é extremamente participativo em vigílias, contagens, e cuidados com a alimentação dos soldados.Ele é participativo em todas as áreas.A festa funk no sábado foi algo colossal ( desci pra comer um hambúrguer) e vi um mega evento no pé da escada.A ausência do Estado, a a política de segurança pública falha que acaba esculachando o morador, o passante,o PM que invade a tua casa, mete o pé na tua porta ou quando você passa te manda tomar no cú quando você diz "Bom Dia" e que pára kombis e revista todo mundo simplesmente porque ficam putos e amam humilhar. De um lado o Estado violento que envia os capitães do mato e do outro lado um poder paralelo na mão de jovens que suprem as necessidades do espaço ocupado.Isto tudo é muito louco mesmo pra mim.

Fazer Política de Segurança Pública nas coxas amigo? O brasileiro é mestre de obras do improviso.É como fazer massa com água do mar.Dura algum tempo e depois vira areia...

Olha eu vi na minha linha do tempo algumas pessoas lamentando a saída de Beltrame e outras até o exaltando.Na boa há anos Beltrame se ausenta e se isentou de atitudes absurdas e de crime que a Polícia Militar em nome do Estado cometeu.É que para quem é da pista, para o rico, para quem está de longe a realidade é outra.O único braço do Estado que é estendido às periferias e comunidades é o braço armado, blindado.A segurança não é para o cidadão e aliás para o Estado o favelado nem cidadão é.O favelado é gado e estorvo e assim é que é infelizmente.Vocês lamentam a saída de um cara que fez um projeto de "pacificação" às custas de muitas vidas e vocês nem sabem quantas pessoas em cada comunidade o BOPE matou.Eu poderia até achar engraçado mas eu acho surreal.A UPP foi feita para um prazo.Um prazo que já acabou.A Copa,os Jogos Olímpicos,o Rio de Janeiro para inglês ver e a sensação clonazepânica de que era possível o rico e o pobre conviverem no mesmo lugar sem ser partido por classes.A utopia de que de sunga e biquini todos na praia eram iguais.A idéia de que o morro é montanha ou cidade alta e que a classe média também poderia usufruir deste lugar tão exótico.Tão exótico que os turistas andavam de jipinho e metiam a cara na casa de moradores e tiravam fotos com meninos remelentos com barrigas enormes brincando na vala de esgoto porque não tem saneamento básico e aquela coisa roots atraía o turista pervertido.Desculpa, pra mim isto é sadismo misturado com curiosidade.Sempre teve um acordo entre UPPs e o poder paralelo.O Estado nunca se fez presente com campanhas para castrar animais, visitarem pessoas, fazerem inclusões sociais.Raras são as comunidades que realmente deram um salto e coloco como exemplo o Vidigal.É triste as pessoas não lamentarem a ausência do Estado em vários setores e sim a saída de Mariano Beltrame como se ele fosse a solução para os problemas de uma Sociedade cheia de preconceitos, racismos.Mariano Beltrame não supriu as comunidades ou a periferia de arte ou de cultura.A cultura vem da Zona Norte e das periferias e é absorvida.Ela nasce da dor, do existencialismo,do tiro dado no pai, no filho, do preto pobre que foi preso simplesmente por ter nascido de cor.A cultura que não foi aproveitada é a válvula de escape e a resistência e ela poderia ter sido aproveitada.Se o problema da galera aí debaixo é achar que a saída de Beltrame é uma lástima e que as UPPs ( que já tinham prazo para começarem a degringolar), então sejam mais honestos com vocês mesmos e peçam ao Estado terrorista que vocês vivem "cidadão de bem" de "Uma Ponte Para O Futuro" meterem logo arame farpado nas favelas porque assim vocês podem ficar tranquilinhos aí embaixo...






Nenhum comentário:

Postar um comentário